Ajude este site a continuar gerando conteúdo de qualidade. Desative o AdBlock

The End of the F***ing World – 1×01

The End of the F***ing World – 1×01

Yasmine Evaristo - 5 de Janeiro de 2018

Este texto é exclusivo sobre o primeiro episódio da primeira temporada de The End of the F***ing World, produção original da Netflix. Para a crítica da temporada completa, clique aqui.

A série britânica aborda a relação entre dois jovens peculiares. James (Alex Lauther) acredita ser um psicopata. Alyssa (Jessica Barden) é agressiva e incontrolável. Usando do ácido e seco humor inglês, a dupla é retratada em sua rotina. A série é uma adaptação da graphic novel de Charles S. Forman.

O episódio inicia com James narrando sua história. Ele afirma não ter senso de humor. Na verdade, sabe ser desprovido de qualquer tipo de sentimento – apesar de podermos considerar que há bastante ódio e desprezo nele. Em busca de alguma resposta, o adolescente chega a se queimar em óleo quente para ver se sente algo, e falha nisso também. O que o agrada é matar outros animais, algo bem preservado em sua memória. Para ele, a escola é apenas um lugar que se assemelha a um cardápio. James está decidido, quer matar algo maior: uma pessoa. E é ali que ele encontrará a sua vítima.

The End of the F***ing World Alex Lawter

Nesse ambiente, Alyssa surge em sua vida. Agressiva e entediada, sua postura com as pessoas é irritante. A garota sempre está disposta a irritar alguém. Grosseira, desbocada e repleta de má vontade, vive um conflito em casa devido ao novo casamento da mãe. Transparece estar sempre se sentindo inadequada àquela família. Sua antipatia pelo padrasto é mútua. Não se adapta a mudanças e, inclusive, não confia em quem se adapta. É a garota nova da escola e a vítima perfeita para James. Se aproxima dele ao perceber que pode ser ali que irá encontrar a chance de se relacionar com alguém que não a incomode.

Ao perceber que ela é sua melhor candidata a vítima, ele decide fingir estar apaixonado, estreitando os meios de interação entre eles. É cômica a maneira como o contato entre os dois é demonstrado. Ele, sempre inexpressivo e mecânico; ela, sugerindo ter ensaiado suas atitudes para não perder o controle sobre suas emoções. Os primeiro diálogos entre eles são compostos por frases de efeito da Alyssa, na tentativa de estabelecer um assunto, e respostas monossilábicas de James. Aos poucos, a admiração de um pelo outro aumenta.

The End of the F***ing World Jessica Barden

No primeiro episódio de The End of the F***ing World, o que nos é apresentado são as respectivas personalidades e como elas se ajustam de acordo com a necessidade de ambos.  Eles estão entediados com a vida, com a cidade e com eles mesmos. As relações com as famílias são problemáticas e os dois não são acolhidos nesse ambiente. Mesmo parecendo ser pessoas que não se importam com nada, percebemos que a falta da mãe para James e do pai para Alyssa são pontos que os afetam emocionalmente. Podem ser essas duas causas talvez que fomentem seus comportamentos.

Na dinâmica que cada um tem com suas respectivas famílias, o desconforto dos protagonistas de The End of the F***ing World é reforçado por suas atitudes. A narração/pensamento afirma o que é visto. James em suas memórias demonstra a impaciência em sociabilizar com o pai e o aconchego do colo da mãe. Alyssa, o distanciamento da mãe imersa em um novo relacionamento, com novos filhos. Enquanto a mãe dele é uma pessoa visível – seu rosto é mostrado -, o pai dela é uma voz atrelada a um corpo sem face – os vemos de costas e no máximo suas mãos tocam o cabelo da filha, quando esta era pequena. Isso reforça os aspectos de saudade e solidão que eles sentem.

The End of the F***ing World Jessica Barden Alex Lawther

Essas parcelas da pessoalidade da cada um transformam a série, em princípio uma comédia ácida, em uma “dramédia” melancólica sobre dores com as quais duas pessoas imaturas não sabem lidar. Por mais que tenhamos atitudes a longo prazo que determinem que ambos são sombrios e instáveis, os fatos apontados acima são um reforço a esses problemas.

Dispostos a “mudar” de vida, eles  fogem juntos, sem rumo, como é mostrado no trailer. As escolhas que orientam o restante da série são dadas nesses vinte minutos de episódio. Objetivo e dinâmico, o piloto possui atrativos para darmos continuidade ao que virá após a fuga e, ao que mais aconteceu com eles para se tornarem insatisfeitos.

Assista a The End of the F***ing World aqui.

Topo ▲