fbpx

Ajude este site a continuar gerando conteúdo de qualidade. Desative o AdBlock

Black Mirror 3×04 – San Junipero

Black Mirror 3×04 – San Junipero

Matheus Fiore - 23 de outubro de 2016

Este capítulo mostra a história de Yorkie (Mackenzie Davis) e Kelly (Gugu Mbatha-Raw), duas jovens habitantes de San Junipero, misteriosa cidade bem ambientada nos anos 80. A trama inicialmente foca em Yorkie, que, recém-chegada na cidade, busca fazer amizades e eventualmente se aproxima de Kelly.

Talvez este seja o episódio mais distinto de Black Mirror. Aqui, não há um lamento ou observação aparente de algum aspecto negro do ser humano. Inicialmente, apenas um romance entre as duas personagens protagonistas com pequenos diálogos que sugerem uma ficção científica.

Após um intenso encontro, Kelly desaparece, Yorkie então passa a procurá-la pela cidade, perguntando para amigos sobre o paradeiro da moça. Aos poucos a trama exibe a real natureza de San Junipero e, ao contrário do esperado, revela-se puramente uma bonita história de amor.

A diferença entre os personagens nos diferentes ambientes é bem salientada pela fotografia. Quando fora do mundo de San Junipero, as personagens são fotografadas com luzes mais naturais, com mais sombreamento e cores pastéis. Em San Junipero, porém, além das roupas extravagantes e excesso de luz neon característicos dos anos 80, há uma iluminação mais artificial nos planos e muitas cores vibrantes.

Essa diferença é importante para mostrar que, fora da cidade, os personagens não encontram a mesma paz e felicidade característicos do lugar. Há, porém, o dilema trazido por Yorkie: é melhor aceitar sua realidade e partir, ou abraçar a paz duradoura da cidade “dos sonhos”?

Mesmo não trazendo nenhuma grande reflexão ou profundidade em sua história, San Junipero traz uma narrativa recheada de candura e esperança, principalmente graças às vividas e joviais atuações de Gugu Mbatha-Rae e Mackenzie Davis. A construção das personagens é ainda mais bem cimentada quando conhecemos as personagens de Denise Burse e Annabel Davis, que escancaram a sociedade homofóbica em que vivemos e a necessidade que alguns encontram em refugiar suas mentes em mundos paralelos.

Para evitar spoilers, esse texto não dissecará mais elementos da narrativa do episódio. É, talvez, o mais difícil de ser analisado sem evidenciar importantes revelações da trama. Mas é também um capítulo de Black Mirror com uma conclusão muito poética  e que, diferente do normal da série, traz ideias e histórias muito otimistas (mesmo que tenham sua dose de melancolia).

San Junipero é, acima de tudo, a esperança de um final feliz para todos, mesmo para aqueles que viveram uma vida inteira de tragédias. É uma positiva e lúdica visão de que os avanços tecnológicos trarão, mas ocasionalmente conforto e paz para muitos de nós. Uma gota de otimismo no triste e pessimista oceano que é Black Mirror.

 

Topo ▲