Ajude este site a continuar gerando conteúdo de qualidade. Desative o AdBlock

Better Call Saul 3×05 – Sacanagem

Better Call Saul 3×05 – Sacanagem

Matheus Fiore - 9 de Maio de 2017
O episódio de Better Call Saul 3×05 – Sacanagem é precedido por 3×04 – Sabrosito e sucedido por 3×06 – Off Brand. Para ler a análise do anterior, clique aqui. Para ler a do seguinte, aqui.

Desde a primeira temporada, a condição de Charles McGill era um mistério. Apesar de vermos como correntes eletromagnéticas afetam seu bem-estar, já nos foi dito que sua condição não existe. Por uma médica, inclusive, quando o personagem precisou ser internado. Desde então, sua “doença” não foi mais desenvolvida, mesmo estando presente em cada cena do personagem. Em Sacanagem, 25º episódio de Better Call Saul, a série finalmente expõe ao público o que ele já sabia: a “alergia” de Chuck não passa de uma condição psicológica auto-imposta para maquiar o vitimismo do decadente advogado.

No capítulo dessa semana, não temos a presença do arco de Gus e Mike. Uma decisão acertada, pois Sacanagem traz o clímax da relação entre Jimmy e Chuck que se alastrou por duas temporadas inteiras. Depois dos acontecimentos de Testemunha, em que Jimmy simbolicamente rompe seus laços com seu irmão ao rasgar a fita da parede (vide a colagem feita aqui), vemos, finalmente, seu irmão mais velho extravasar seu ódio latente.

Com exceção dos primeiros minutos, que se dedicam a preparação de Jimmy para executar seu jogo no tribunal, todo o episódio se concentra na audiência contra seu irmão.  Já durante o embate, alguns planos ressaltam o ambiente hostil em que Jimmy se encontra. O protagonista é colocado no lado esquerdo do quadro – a parte mais fraca – e tem Chuck e toda a bancada presidencial da associação dos advogados virada em sua direção, fortalecendo a ideia de que ele enfrenta não só McGill, mas toda a classe, que o protege e é conivente com suas extravagâncias.

O texto do episódio não traz muita sofisticação. Apesar do “grande golpe” de Jimmy, em momento algum o episódio tenta nos surpreender, o que abre espaço para sentirmos o peso das revelações morais de Chuck. A grande virada de Jimmy, por exemplo, já é explicitada em duas cenas anteriores à audiência, quando ele procura um profissional “mãos leves” e, posteriormente, vemos Huell esbarrando em Chuck. Nesse momento, vemos uma inversão de perspectiva incrível. Se antes a câmera retratava Jimmy fragilizado do ponto de vista da bancada que o julga, agora vemos, sob o ponto de vista de Howard e a ex-esposa de Chuck, o advogado pressionado e fragilizado diante de seu irmão caçula.

O diretor do episódio, Daniel Sackheim, escolhe o minimalismo para destacar as atuações. Pela “necessidade” de Chuck de manter distância de qualquer rede elétrica, toda a audiência ocorre no escuro, apenas com luz natural, dando ainda mais realismo aos diálogos. Ainda assim, os sutis movimentos de câmera são precisos para retratar a explosão de Chuck. Conforme o personagem desabafa, a lente se aproxima de seu rosto, até que o personagem percebe que perdeu o controle, e então a câmera volta a afastar-se.

Ainda no momento em que Jimmy expõe seu irmão e o deixa encurralado (como retratado no frame acima), a direção sutilmente coloca o protagonista entre seu irmão e a saída, fortalecendo a situação desesperadora de Chuck, impotente diante da ferida aberta. O curioso é que mesmo com a evidente vitória, Jimmy não demonstra o menor prazer em suas atitudes. Não só o tom de voz baixo e controlado, mas a expressão de derrota deixa implícito que o protagonista não tinha tal situação como objetivo inicial. O futuro Saul Goodman, porém, se viu desgastado até seu limite, tendo sua “vingança” como única reação possível.

A sinalização da saída à esquerda, Jimmy no centro, e no extra-campo, Chuck, ouvindo a defesa de seu irmão.

Exposto e sem defesa, Chuck se vê derrotado psicologicamente por Jimmy. Mais do que o processo, Chuck perde o respeito das duas pessoas que mais ama, sua ex-esposa e Howard Hemlin. Os olhares dos dois diante das revelações deixa claro para o público o impacto da cena.

O resultado de Sacanagem é um dos episódios mais impactantes da série até aqui. Se ao longo dos vinte e cinco episódios já lançados a série construiu milimetricamente cada arco a ser explorado, aqui vemos a gloriosa conclusão da rivalidade entre os irmãos McGill, um dos principais pilares do programa. Better Call Saul trilha um caminho diferente de Breaking Bad e continua se firmando como uma das mais bem realizadas séries da atualidade, tanto por sua fotografia (que aqui imprime a aura realista exigida pelos acontecimentos), quanto por sua direção (que sempre consegue representar por símbolos os sentimentos dos personagens). A televisão nunca superará o cinema, mas Better Call Saul já superou a maioria dos filmes hollywoodianos contemporâneos.

 

Topo ▲